Cansado de empreender – 5 dicas para se motivar!

No artigo de hoje, vamos falar EXCLUSIVAMENTE sobre as vantagens de ser um profissional da área de empreendedorismo. Prepare-se, pois artigo valiosas estão prestes a serem lidas pelos seus olhos de investidor faminto por boas informações sobre esse assunto!

Você que é investidor costuma estar por dentro quando o assunto é artigo de empreender, né? Então, vai ter que pregar seus olhos nesse meu texto aqui… Hoje eu estava inspirado para dar dicas revolucionárias sobre Dificuldade.

Não julgue pela aparência de um dica, pois aquele conteúdo pode ser valioso.

1. Defina a sua estratégia

Investir significa abrir mão do recurso e do prazer de gastá-lo no momento, com o objetivo de obter um valor ainda maior no futuro. Para isso, é importante ter clareza do prazo que está disposto a não ter o dinheiro em mãos, ou seja, abrir mão de uma liquidez imediata.

Pode ser interessante separar uma reserva de emergência para imprevistos. Neste caso, a solução é direcionar este montante para alternativas como título tesouro selic, fundos DI, fundos de renda fixa,como investir na bolsa de valores, universidade trader e CDBs com liquidez diária, na qual você tem baixo risco e pode resgatar o valor aplicado a qualquer momento.

Agora vamos ao capital que você destinou para constituir patrimônio e realizar seus sonhos em médio e longo prazo. Estabeleça prioridades e metas, pois assim ficará mais fácil visualizar sua evolução e definir os mecanismos adequados conforme os seus objetivos.

Geralmente, quem pretende resgatar sua aplicação em curto e médio prazo tende a ser mais conservador, sacrificando a rentabilidade. Há, ainda, o perfil de investidor moderado. Ele é capaz de aguardar um pouco mais por melhores ganhos, mas contém sua inclinação ao risco. Por fim, o arrojado está mais propenso a aplicar seu dinheiro sem data definida para o resgate. Sua tolerância a incertezas pode ser recompensada com a possibilidade (não garantia) de melhores rendimentos.

Não existe perfil certo ou errado, nenhum deles é melhor nem pior. Com o tempo, conservadores podem adquirir maior apetite para riscos, a medida que acumulam conhecimento financeiro e se tornam mais capazes de calcular prós e contras.

2. Tenha cuidado com a previdência privada

A média das aposentadorias pagas pelo governo aos trabalhadores em outubro de 2016 foi de apenas R$ 1.123. Assim, não é difícil compreender que o maior sonho dos investidores brasileiros seja acumular o suficiente para manter uma vida confortável quando parar de trabalhar. Essa tese pode ser comprovada pelo grande volume de investimentos particulares direcionados à previdência.

Aparentemente, algumas facilidades tributárias dão impressão de que investir em previdência seja um ótimo negócio. Mas o mercado é concentrado em grandes bancos, que por sua vez cobram taxas elevadas, causando grandes impactos na rentabilidade. Por isso é extremamente importante entender melhor o funcionamento dos planos de previdência privada.

Além disso, é importante saber que fundos de previdência privada costumam punir severamente quem precisa resgatar a aplicação em curto prazo. Antes de optar por eles, sempre vale a pena fazer cálculos comparativos avaliando outras modalidades de investimento disponíveis no mercado.

3. Invista em um seguro

Quem deseja formar reservas também deve ter cuidado para preservar seu patrimônio. Imprevistos fazem parte da vida. Imagine a situação: você investiu em um investimento sem liquidez, com período de carência mínimo de 12 meses. Só que antes desse prazo, houve um grave incêndio no galpão de sua lavanderia.

Nesta circunstância, como não possuía seguro, você se vê entre duas alternativas para retomar seu negócio: pagar juros em um empréstimo ou pagar uma multa para recuperar o valor investido, SE ISSO FOR POSSÍVEL! Nem sempre é! Em ambos os casos, existirá o prejuízo. Por isso, os seguros são uma maneira de, por exemplo, se resguardar para não ser obrigado a abrir mão de um bem que já conquistou.

4. Escolha onde investir seu dinheiro

São inúmeras as modalidades de aplicações financeiras disponíveis no mercado financeiro ou fora dele. Vamos listar apenas algumas delas. Aqui no Blog existe praticamente explicação detalhada de quase todas as modalidades disponíveis no mercado financeiro.

Imóveis para locação

Investir em imóveis é um costume antigo. O que se ouve muito é que o aluguel deve ser aproximadamente 0,5% do valor do imóvel, mas isso não é uma regra para ser levada ao pé da letra. Por exemplo, um apartamento no litoral que pode ficar desocupado por longos períodos todo ano.

Logo, é razoável que nas temporadas de maior movimentação turística, o valor cobrado também seja mais alto. Ou então, uma localidade onde acabou de se instalar uma fábrica que vai atrair muitos trabalhadores ou uma universidade que trará diversos estudantes. Resumindo: avalie bem o contexto.

Bolsa de Valores

Por intermédio da bolsa, o investidor pode adquirir papéis de uma empresa de capital aberto. Isso acontece por meio de cotas, chamadas ações, cuja precificação obedece as leis de oferta e demanda. O valor dos papéis é influenciado por aspectos como faturamento, lucratividade e expectativa do mercado.

Também é possível aplicar de maneira conjunta por meio dos chamados Fundos de Investimento, que são gerenciados por uma instituição financeira mediante o pagamento de uma taxa administrativa. O funcionamento é parecido com um condomínio residencial.

Em países desenvolvidos onde as taxas de juros da economia são baixas, o investimento em bolsa de valores é muito difundido. No Brasil, esta cultura está se fortalecendo com a valorização de diversas empresas e a entrada de um grande volume de investidores nos últimos anos.

O melhor caminho para ingressar na bolsa de valores é dedicar um tempo para o seu aprendizado. Lembre-se de que as escolhas descuidadas podem custar muito caro para amadores e a educação financeira pode ser uma arma poderosa a seu favor.

CDB’s e Letras de Câmbio

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é como um empréstimo que você faz ao banco. São títulos com rendimentos pós-fixados, atrelados à taxa DI (depósito interfinanceiro), muito próxima da Selic, também podendo ser prefixados.

Apresenta rentabilidade muito melhor do que a poupança e também é assegurado pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até R$ 250 mil. Alguns CDB’s possuem liquidez diária.

Já as letras de câmbio, apesar do nome, não estão atreladas a cotação de moeda estrangeira. São semelhantes ao CDB, com a diferença de que são emitidos por financeiras. Também estão protegidas pelo FGC.

5. Diversifique seus investimentos

A dinâmica de nossas necessidades e desejos deve ser considerada quando vamos montar uma carteira de investimentos. Um bom método é dividir em prazos. Reserve parte do capital em aplicações com liquidez para satisfazer necessidades mais imediatas.

Também aplique em posições de médio prazo com maior rentabilidade e, por fim, reserve outra parte para investimentos de longo prazo com melhores ganhos. São eles que garantirão o crescimento de seu patrimônio.

Procurando ajuda especializada e se informando sobre o mercado financeiro, você terá os elementos para incrementar suas finanças. Mas lembre-se: tudo começa na organização do orçamento. Equilibrar sua renda e as despesas, possibilitando a acumulação de um excedente é o passo mais importante.

Gostou das dicas de hoje? Este artigo é para você, investidor que está disposto a dominar empreender e conseguir seu sonho de aprender a investir. Então, basta agir que seu sucesso nessa sua missão está garantido! Recomendo que clique e saiba mais sobre Saiba investir que recomendo!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *